Matar Saudades dos Velhos Tempos

Meia centena de antigos alunos marcaram presença no XXIV Encontro que a “aaa de La Salle” (Associação de Antigos Alunos de La Salle – Portual) organizou no último domingo de maio no colégio La Salle em Barcelos.

A trompeta lassalista ou a pomba anunciadora convocou as tropas para o encontro anual. O dia 26 de maio chegou com algumas nuvens, mas acabou com muito sol. Chegou mesmo a aquecer, o suficiente, com um vinho do porto e, com certa intensidade, durante a atuação dos Bemóis de são Caetano, banda formada por alguns antigos alunos do colégio de S. Caetano de Braga.

A partir das nove horas e trinta minutos, os velhos guerreiros começaram a aparecer: uns mais solitários, outros acompanhados das suas famílias, todos com um sorriso pronto no rosto à espera de reconhecer no outro o jovem amigo de outrora. “Eh pá, já estamos velhos”, “Essa saudinha?”, “Ainda bem que vieste!” Há cumprimentos saudosos, abraços entusiásticos, juvenis, anunciadores de um tempo passado com muitas histórias para contar e reviver. O Emanuel e a Virgínia foram excelentes rececionistas.

Na capela do colégio celebrou-se uma eucaristia animada. O padre Lima, antigo aluno de S. Caetano, aproveitou o momento para dar as boas vindas aos presentes e no comentário às leituras, lançou um aviso muito sério à navegação: “somos pó e em pó nos vamos tornar”, por isso, alertou os presentes para a importância do sacramento da Santa Unção. Ungidos em e por Cristo, é um dos bons remédios que devemos aproveitar e até repetir, concretamente a partir de uma certa idade. Pois, “não se pode adiar o sacramento para depois da morte”. Foi um momento caloroso, onde todos participaram com muito fervor, cantando, rezando e expressando a sua fé.

Estava prevista uma homenagem aos finalistas de 1993, que não se realizou por falta de comparência. Paciência. Quem ficaram a perder foram eles.

Carlos Borrego, Presidente da Mesa da Assembleia, convocou os sócios para a Assembleia Geral. A mesa foi constituída por ele, pelos secretários: Daniel e António Oliveira e pelo representante da Congregação, Ir. Joaquim. O Carlos Borrego abriu a sessão e deu a palavra ao Presidente da Direção, José Carlos, que apresentou as contas e o plano de atividades do ano transato sendo aprovadas por unanimidade. Seguidamente apresentou o plano de atividade e o relatório de contas para o próximo ano, que também foram aprovados por unanimidade. Ainda houve tempo para insistir junto aos sócios para o pagamento das cotas. O Presidente lançou um desafio, convidando a todos para marcarem presença, no dia 17 de junho, em Abrantes. A Associação, conjuntamente com antigos alunos de Abrantes, com a colaboração estreita da Presidente da Câmara Municipal, irá descerrar nesse dia uma lápide numa praceta junto ao antigo colégio de Abrantes com a finalidade de perpetuar o nome de S. João Batista de La Salle, padroeiro dos educadores, para sempre numa localidade portuguesa.

Seguiu-se um porto de honra. Com o copo bem levantado brindou-se ao sucesso da iniciativa e agradeceu-se a presença de todos. Já na cantina seguiu-se o almoço festivo. Aquele que aquece o coração do homem e dá vida aos das mulheres emergiu e contribuiu para que a conversa se animasse ainda mais.

Antes da sobremesa e do café, uma surpresa agradável: uma dúzia de músicos, “Os Bemóis de São Caetano”, que outrora pertenceram à conceituada banda de música dos alunos de S. Caetano, dirigida pelo maestro Brás, interpretou para o público um repertório rico de músicas conhecidas. Bom momento! Parabéns aos músicos e a quem teve a iniciativa de os convidar.

Seguiu-se uma visita guiada à futura sede da SOPRO onde nos foram apresentadas as instalações e os diversos serviços que aí funcionarão a partir de setembro próximo.

O convívio foi-se estendendo ao mesmo tempo que o dia ia mingando. Era preciso pôr a cereja em cima do bolo. O Ir. Luís, vestido a rigor, qual druida ou sacerdote celta, apareceu em cena para celebrar com os presentes a Queimada Galega. A melhor forma de expulsar todas as maleitas e desejar um bom regresso a casa.

Despedidas sentidas e com a promessa de regressar no próximo ano. Sempre em maio, no último fim-de-semana. O presidente da Associação, José Carlos, em forma de balanço “o encontro foi muito participado, não teve tempos mortos e sentiu-se um bem-estar generalizado. Fiquei contente e espero que para o ano possamos ser mais”.

XXIV Encontro

Este foi o vigésimo quarto encontro dos antigos alunos. Tudo começou ainda no outro século quando o Carlos Salazar teve a ideia de juntar os antigos alunos. Um agradecimento a ele. Ao longo deste tempo houve a criação de duas Associações de Antigos alunos (mais ligadas aos alunos que frequentaram o colégio de Barcelos após o 25 de abril), dinamizadas pelo Ir. Manuel e pelo Ir. Alberto, que acabaram por desaparecer com o tempo. A única associação existente em Portugal que tenta aglutinar todos os alunos portugueses que um dia passaram pelos estabelecimentos que o La Salle teve em Portugal tem a sua sede em Barcelos e o seu presidente é neste mandato o antigo aluno José Carlos Ferreira, do colégio La Salle de Barcelos. Para a criação desta Associação contribuíram bastante os Irmãos de La Salle e muitos antigos alunos de diferentes gerações.

Um dos sonhos da “aaa de La Salle” é que todos os alunos lassalistas portugueses um dia tenham a possibilidade de tornarem associados e assim darem o seu contributo para que o La Salle continue por muitos e muitos anos entre nós.

Close Menu